E-commerce a meta é aumentar a taxa de conversão

A palavra de ordem no e-commerce sempre foi a conversão de usuário em comprador. O aumento desta taxa de conversão através da utilização de novas ferramentas foi o tema principal da palestra de André Franken, diretor geral e fundador da eBehavior, empresa de inteligência para e-commerce pertencente ao Grupo BuscaPé., durante o F5 de agosto, promovido pela Associação Brasileira das Agências Digitais do Rio Grande do Sul, na última terça-feira, no BarraShoppingSul. Franken enumerou algumas ferramentas que eBehavior oferece aos seus clientes, como a recomendação de palavras chaves (“existem termos que geram tráfego, mas não geram vendas”), passando por vitrine de busca, ações automáticas e até mesmo a “recuperação de carrinho”, quando o cliente vai fechar a compra.

Para André Franken, a taxa de conversão no e-commerce brasileiro ainda é pequena, chegando a 1,6%. “Se uma loja tem 100 mil usuários cadastrados e uma conversão de 1%, é muito mais fácil dobrar a taxa do que aumentar o número de usuários”, disse Franken. Para ele, muitas vezes os empresários investem muito dinheiro em palavras chaves que não trazem resultados, o que dificulta a conversão. Em outras vezes, esquecem de aplicar ferramentas que mostram o caminho percorrido pelos usuários dentro de um site, o que poderia provocar um e-mail automático no dia seguinte com os produtos que ele pesquisou, aliado a uma promoção específica.

Durante a sua palestra, André Franken disse que estas ferramentas são automáticas, produzidas a partir de algoritmos que levam em considedração até mesmo as fases da lua como influenciadoras de compras. Para ele, os dados gerados pelas redes sociais podem ser ligados a estas ferramentas, provocando mensagens do tipo “veja qual o produto que o seu amigo curtiu”.