E-commerce brasileiro cresce com chegada de consumidores de baixa renda

Segundo e-bit, 61% dos novos consumidores de comércio eletrônico no primeiro semestre de 2011 recebem até 3 mil reais mensais.

Os consumidores com renda mensal de até 3 mil reais são a nova fronteira do comércio eletrônico brasileiro, indicam os números divulgados pela e-bit na noite de quinta-feira (1.º/8).

Pelos dados da empresa especializada em informações sobre o mercado de e-commerce, essa classe de consumidor representou 61% dos novos clientes do setor no primeiro semestre de 2011.

Na relação com o total de consumidores de comércio eletrônico do período, as classes de baixa renda representaram, no primeiro semestre, 46,5%. Em 2009, essa fatia era de 44,6% – a diferença, segundo a e-bit, corresponde a um acréscimo de 5 milhões de consumidores.

A e-bit ressalta também que o valor do tíquete médio – média do valor gasto por compra – é maior entre esses novos consumidores. O valor médio da compra por pessoas dessa faixa de renda no primeiro semestre foi de 320 reais.

Entre as pessoas dessa categoria que fizeram sua primeira compra no período, o tíquete médio foi maior: 340 reais.

“O crescimento da baixa renda no e-commerce é relevante e deve continuar em evidência para os próximos anos”, afirmou o diretor de Marketing e Produtos da e-bit, Alexandre Umberti, em comunicado.

Segundo a e-bit, a maior fatia dos novos consumidores de e-commerce vem da região Sudeste (64%), seguida pelas regiões Nordeste (14%) e Sul (12%).