O crescimento do e-commerce coletivo

O crescimento do e-commerce coletivo. O setor de compra coletiva movimentou R$ 1,6 bilhão no Brasil em 2011, o que representa um crescimento de 644,1% em relação ao ano anterior, segundo um novo relatório publicado pelo InfoSaveMe e e-bit.

O resultado corresponde a 9% de toda a receita registrada por sites de comércio eletrônico em 2011, cerca de R$ 18 bilhões, segundo outro levantamento do e-bit.

O estudo também mostra que o número de sites ativos – aqueles que operam com ao menos uma oferta por semana – cresceu 333,5% para 867, enquanto em 2010 somavam apenas 200.

Para Guilherme Wroclawski, um dos fundadores do SaveMe, o uso das compras coletivas como mídia e vendas por grandes varejistas alavancaram o setor.”Essas empresas enxergam a compra coletiva como ferramenta de marketing, ou seja, como divulgação e canal de vendas. É um meio mais barato do que recorrer à mídia tradicional para anunciar esses itens”, explica.

Wroclawski ainda acrescenta que o setor está evoluindo e mudando de perfil. “Hoje não se vê mais ofertas com número mínimo de pedidos para que ela seja válida. Por isso, estamos chamando o setor de mercado de cupons, e não mais de compras coletivas. É o segmento das oportunidades.”