Acordo tenta diminuir com Spams

Acordo tenta diminuir com Spams. O Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br) anunciou no dia 23 de dezembro, um acordo com entidades como a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) para que todos os provedores alterem, no prazo de 12 meses, a porta de saída de e-mails a fim de reduzir o volume de spams enviados por computadores brasileiros infectados.

O acordo, fruto do projeto “Gerência de Porta 25?, é assinado também pelo Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (SindiTelebrasil) e Associações de Provedores de Acesso e Serviços Internet.

O serviço de correio eletrônico funciona a partir de protocolos. O SMTP (Protocolo Simples de Transferência de Correio, em tradução livre) é o utilizado por um servidor para enviar uma mensagem a outro ponto, através de “portas”.

A medida da CGI.br visa padronizar essa “porta”, deixando a de numeração 25 para a 587. Isso porque esta pode ser controlado pelos provedores, o que não acontece pela 25, via pela qual são distribuídos os spams na rede.

Os provedores terão até 12 meses para padronizar as contas de pelo menos 90% dos seus assinantes que usem softwares como Microsoft Outlook ou Mozilla Thunderbird. A alteração terá de ser feita manualmente, indo até as configurações da conta e alterando o número da Porta TCP. E-mails baseados na web (webmail) serão configurados automaticamente.

O órgão gestor espera com isso tirar o Brasil do mapa do spam no mundo. A partir de um estudo chamado Spampots , a CGI conclui que o Brasil funciona basicamente como um redistribuidor involuntário de spams e não como um produtor desses e-mails. De acordo com os dados apresentados, 97% dos spams capturados pelos pesquisadores têm origem em outro país; e 94% não têm por alvo o Brasil, mas sim o exterior.