Atingindo seu público-alvo

Atingindo seu público-alvo. Antigamente os anunciantes precisavam desembolsar uma quantidade enorme de dinheiro para atingir seu público-alvo em jornais e revistas. Apesar de poderem escolher as publicações e regiões onde as chances de encontrá-lo seriam maiores, atingir “pessoas erradas” era inevitável. Com a ascensão da mídia digital, os anunciantes passaram a contar com uma série de sofisticações para personalizar e segmentar sua mensagem a grupos específicos de consumidores.

O acesso à vasta quantidade de dados disponível, principalmente, nas redes sociais, tem sido o principal responsável por esses avanços. Quanto mais dados estiverem disponíveis, maior é a possibilidade de segmentar o público-alvo para oferecer-lhe anúncios contextuais e relevantes. Dados apresentados pela NNA evidenciam que essa é uma disputa que não cabe mais aos veículos tradicionais de mídia e sim aos digitais que oferecem as ferramentas mais precisas para identificar segmentos de consumo ou, melhor que isso, interesses individuais.

Nesse contexto, como Google, Facebook e Twitter estão utilizando os dados demográficos e comportamentais dos seus usuários para segmentar seus anúncios? Quem tem a melhor ferramenta?

Segmentação demográfica

A segmentação demográfica é essencial à criação e otimização de qualquer anúncio destinado a um público específico. Imagine-se criando um anúncio em russo. Para quem você deseja entregá-lo? Russos, óbvio! Se não houvesse uma forma de segmentar demograficamente seu público, tanto russos quanto japoneses e brasileiros, por exemplo, receberiam o anúncio e, ao invés de agradá-los, você estaria importunando-os.

O Facebook possui uma quantidade monstruosa de dados demográficos e oferece uma quantidade generosa de opções de segmentação a seus anunciantes. Além disso, ainda é possível segmentar esse subgrupo por nível social, grau de instrução, idade e interesses específicos. O Google, por sua vez, oferece segmentação por localidade, idade e gênero. O Twitter, por outro lado, só oferece opções de localização demográfica e gênero.

Fonte: Canaltech

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *