Empresas não monitoram performance dos sites

Empresas não monitoram performance dos sites. Um levantamento realizado pela empresa de pesquisas Vanson Bourne, a pedido da Micro Focus – especializada em soluções para modernização, testes e gerenciamento de aplicações – com cerca de 590 profissionais de TI de todo o mundo, dos quais 100 deles no Brasil, identificou que grande parte das organizações não monitora a performance dos websites de forma adequada. O que afeta de forma negativa os índices satisfação dos clientes, a conversão de vendas online e a taxa de abandono dos sites.

Um dos dados que refletem essa falta de monitoramento dos sites é que 26% dos executivos consultados informaram que não fazem ou não sabem se o tempo de resposta dos sites de suas empresas é monitorado durante as transações críticas, como compras com cartão e gravação da base de dados dos usuários.

Em média, 80% dos entrevistados informaram que nem sempre resolvem os problemas ligados ao site antes que um cliente reclame dos mesmos. No Brasil, essa porcentagem é ainda mais alta, com 87% dos executivos apontando que não solucionam sempre os possíveis problemas de forma pró-ativa.

No mundo, 72% dos entrevistados informaram que nem sempre são alertados ao primeiro sinal de problemas com serviços web, sejam eles relacionados à lentidão, queda no sistema, entre outros. Quando considerados os diversos setores, a questão mostra-se mais grave nos segmentos de mídia, lazer e entretenimento e serviços financeiros, com 90% e 87%, respectivamente, das empresas que nem sempre resolvem um problema antes que o cliente acione a companhia para reclamar do mesmo.

“Os dados dessa pesquisa são alarmantes, pois mostram que muitas empresas estão perdendo dinheiro com as transações online, por falta de um monitoramento adequado de performance dos sites. Nossas pesquisas mostram que 88% dos consumidores estão menos dispostos a voltar a acessar uma página na internet depois de uma experiência ruim”, alerta Marco Leone, Country Manager da Micro Focus Brasil. “Para minimizar riscos à reputação e a perda de receitas com negócios online, as empresas precisam investir urgentemente em ferramentas para monitoramento e teste de sites”, complementa.

A pesquisa mostra também que, apesar de 79% dos gestores de TI terem consciência de eventos que aumentam o volume de tráfego nos sites – como datas sazonais e feriados –, 44% não realizam a simulação de performance dos portais com altas cargas para ver se os ambientes podem lidar com picos de acessos. O que se justifica, na maior parte dos casos, por uma falta de alinhamento entre os departamentos de marketing e de TI.

Na pesquisa, 69% dos líderes de TI informaram que não têm acesso aos planos de marketing, o que significa que apresentam dificuldades para planejar e testar a performance do site com antecedência para suportar campanhas ou ações que aumentem o tráfego online. Pior do que isso, 73% dos profissionais de TI consultados no estudo afirmaram que nem sempre têm conhecimento de lançamentos específicos, antes que os mesmos aconteçam.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *