fidelizacao-clientes

Inbound Marketing

A multiplicidade dos espaços digitais – e o consequente desejo de não ser só mais uma página perdida no infinito virtual -, aliada a grande quantidade de ferramentas voltadas, justamente, para barrar anúncios, banners e outros modelos tradicionais de publicidade, trouxeram consigo algumas questões complexas para as marcas solucionarem:

Como entender os anseios de um novo consumidor cada vez mais adepto das relações de compra em ambientes online? E, mais especificamente, como atraí-lo (ao invés de afastá-lo) dos meus produtos e serviços?

A resposta, encontra-se na base do Inbound Marketing: não serei só eu que vou atrás do meu cliente, mas sim, farei com que ele venha, espontaneamente, até meu produto. Mas como? Por meio da principal moeda de troca das sociedades contemporâneas. Sim, a informação, mas não de qualquer tipo ou sem qualquer critério. Estamos falando de um conteúdo de qualidade que supra, de fato, uma determinada demanda por conhecimento, aliado a uma série de técnicas de indexação e de SEO para melhor posicionamento nos mecanismos de busca.

Inbound Marketing (ou Marketing de Conteúdo) é uma estratégia sustentada no meio digital que tem como princípios a construção de uma relação de confiança com clientes em potencial e a própria educação deste público diante de determinados tópicos diretamente ligados a realidade e aos produtos de determinada empresa.

Popularizado por meio do livro “Inbound Marketing: seja encontrado usando o Google, a mídia social e os blogs” (2009), de Brian Halligan e Dharmesh Shah, o Inbound é um conceito relativamente novo, mas que já dá sinais de consolidação. Os motivos para isso envolvem desde seu custo – significativamente inferior ao Outbound ou Marketing Tradicional – até o seu poder de atração comprovado em inúmeros cases do mercado, o que faz com que cerca de 70% das empresas brasileiras já adotem alguma forma de Marketing de Conteúdo.