A força de anúncios em sites de e-commerce

A força de anúncios em sites de e-commerce. Mesmo diante do intenso bombardeio de anúncios na internet, cerca de 50% dos consumidores afirmam prestar atenção aos anúncios on-line, seja ocasionalmente (18,2%), ou frequentemente (33%). No entanto, o ambiente em que se encontram tais propagandas possui um impacto significativo em sua consciência e receptividade, é o que mostra uma pesquisa divulgada recentemente pela Aisle.

O estudo identificou também, uma maior probabilidade de os anúncios serem vistos (54,5%) e bem recepcionados (56,8%) quando divulgados em sites de comércio eletrônico, com 21,8%, se comparado aos sites de mídias sociais, que registraram 17,8% da preferência. Em sites de serviços de e-mail, como Hotmail e Gmail, também houve um feedback positivo, ao contrário dos sites de vídeos e jogos on-line.

Curiosamente, a pesquisa observou ainda que a possibilidade de um consumidor da geração Y não notar um anúncio on-line é duas vezes maior do que um consumidor “sênior” (32,4% versus 16,3%). Estes últimos, juntamente com os chamados “baby-boomers” (58.3% e 54,4%, respectivamente), apresentaram uma probabilidade maior de visualizar os anúncios on-line do que os entrevistados da geração Y (42,6%) e os da geração X (49%), mesmo que ocasionalmente.

No entanto, ao analisar o contexto, este quadro muda consideravelmente. As gerações mais novas foram muito mais propensas do que as antigas a notar os anúncios quando exibidos em sites de comércio ou de mídias sociais, tendo ocorrido o contrário nos sites de serviços de e-mail. O mesmo padrão se aplica ao examinar a receptividade a esta publicidade.

Outro dado importante é que, ao realizarem compras on-line, 85,1% dos entrevistados disseram ser receptivos às propagandas de produtos ou serviços que estejam considerando adquirir. Enquanto, 61,9% deles, afirmaram serem receptivos a outras mercadorias e/ou serviços que possam vir a ser importantes, – mesmo sem a intenção de comprá-los naquele instante -, direcionando-os aos seus interesses e preferências.

Dentre outras curiosidades encontradas pelo estudo, que dividiu as respostas por sexo, renda familiar e pela geração, está a maior (36,5%) probabilidade de as mulheres prestarem mais regularmente atenção à publicidade on-line do que os homens (20,3% x 14,8%).

Além disso, as mulheres também são mais propensas a notar os anúncios em sites de e-commerce (56% x 52,4%), de mídias sociais (25,8% x 17,1%) e de e-mails (52% x 38,5%). Porém, essa probabilidade foi menor quando se tratava de páginas de notícias, informações ou blogs (21,8% x 30,1%), sites de vídeos (2,1% x 8,1%) e de jogos (1,5% x 5,7%). A mesma tendência foi observada ao se analisar a receptividade aos anúncios.