Google lança o Google+ Project: seria uma rede social ou não?

Seria um concorrente à altura do Facebook ou apenas mais um componente social do Google?

Para quem estava esperando ansiosamente para uma atitude da Google para combater o imenso e rápido crescimento do Facebook, a empresa anunciou hoje que já trabalha em um candidato a isso, com o Projeto Google +.

A gigante das buscas anunciou nesta manhã em seu Blog Oficial o projeto que, segundo suas próprias palavras, representa um “compartilhamento da vida real e um repensar da internet”.

Uma das ideias principais por trás do Google + são os +Círculos, que compreendem “espaços” em que os usuários podem ser agrupados. Por exemplo, um usuário pode criar círculos para sua família, para amigos da faculdade, para amigos “de todas as horas”, para “amigos de bar”, de futebol, e assim vai.

É claro que toda rede social que se preze precisa de um sistema eficiente de compartilhamento, e a Google parece não ter esquecido disso, criando do +Sparks. Com base em uma configuração das preferências do usuário, o Google + enviará atualizações e notícias de seus assuntos preferidos, em vídeos, fotos e texto em mais de 40 línguas.

Outra nova função apresentada é o +Hangouts, que leva as conversas em grupo por vídeo a um outro nível. Assim como a própria Google descreve, os Hangouts (algo como passar o tempo, ficar junto, na expressão hang out, em inglês_) são “espaços” em que os usuários podem ficar para conversar com as pessoas de seus círculos. Ao entrar em um Hangout, o usuário mostra que está disposto a conversar e seus amigos podem se unir a ele em uma conversa em grupo, sem que seja necessário convidar ninguém para isso.

Apesar de tudo isso, “O Google+ não é uma rede social”, afirma Felix Ximenes, diretor de Comunicação da Google no Brasil. “Estamos levando um componente social para todos os produtos do Google. O maior cuidado que estamos tomando é evitar que as pessoas comparem com algo que já conhecem. Porque é diferente.”

O Google+ é um site? Sim e não. Na verdade o site leva a uma ferramenta onde o internauta, dono de uma conta Google, monta e gerencia seus Círculos de amizade, muito semelhante às listas do Facebook e do Twitter. Mas o funcionamento, em geral, está espalhado pela Web, a partir de marcadores sociais (âncoras) como o botão +1 para conteúdos, dentro e fora de produtos Google.

“O botão mais um é a ponta do iceberg dessa estratégia”.

O objetivo do Google+ é “fazer com que a conexão entre as pessoas na web seja mais parecida com a da vida real”. Razão pela qual, a construção dos Círculos não inclua entre seus princípios básicos o da reciprocidade. Você não precisa saber que está em alguns dos meus círculos, como não preciso concordar em estar em algusn dos seus. Só preciso definir bem o que quero compartilhar, e espalhar meus sinais.