São Paulo pode ter GVT

São Paulo pode ter GVT. Operadora informa que realiza ainda este um piloto na capital paulista. Empresa não revela data de lançamento dos serviços.

Depois de um longo período de espera pelas licenças da prefeitura de São Paulo para a construção de sua infraestrutura na capital paulista, a GVT começa a contagem regressiva para estrear sua operação residencial neste mercado. A operadora informou que realiza ainda este ano um piloto para começar atender os paulistanos.

“A GVT inicia ainda este ano a construção de um pequeno trecho da sua rede de telecomunicações na cidade de São Paulo em formato de projeto piloto”, confirma em comunicado oficial a operadora controlada pelo grupo francês Vivendi.

A data de lançamento dos serviços e os primeiros bairros a serem atendidos ainda é segredo, mas fontes do mercado arriscam que as ofertas devem estar disponíveis ainda no primeiro semestre de 2013.

No mesmo comunicado a GVT informa que para garantir a qualidade de entrega dos serviços de banda larga, telefonia fixa e TV por assinatura ao cliente final, está construindo rede metropolitana própria em toda a sua área de atuação, que cobre 137 cidades do País.

A GVT já atua na cidade de São Paulo desde 2004 atendendo ao mercado corporativo e possui alguns trechos de rede própria para atendimento a clientes empresariais. A operadora entrou no mercado paulista residencial pelo interior em agosto de 2010.

Atualmente, os serviços da GVT estão presentes em quase 15 cidades da Grande São Paulo e interior entre as quais estão Campinas, Guarulhos, Jundiaí, Mauá, Osasco, Piracicaba, Santo André, Sorocaba, São Bernardo do Campo e Votorantim, Santos e São Vicente, no litoral.