Comércio Eletrônico brasileiro

Comércio Eletrônico brasileiro. Mesmo sem ter o gigante do e-commerce Amazon presente no Brasil, o País já se destaca mundialmente em termos de comércio eletrônico. Em reportagem publicada ontem em sua edição online, a revista norte-americana Forbes avaliou que o setor passa por um momento de expansão.

Baseando-se em números da consultoria especializada em tecnologia E-consulting, a Forbes informou que o e-commerce teve no primeiro semestre do ano negócios de US$ 5,5 bilhões no País (alta de 19,1% ante igual período de 2010) – e deverá concluir 2011 com um total de USS 11,5 bilhões. O texto também incluiu dados da consultoria e-bit, segundo a qual o setor faturou US$ 5,2 bilhões no período – uma expansão de 24%. “É difícil dizer qual estudo é mais preciso, mas é fácil predizer que o comércio online oferece grandes oportunidades no Brasil”, avaliou a reportagem.

Graças às medidas do governo para conter o consumo e controlar a inflação, o e-commerce deverá crescer menos no segundo semestre. Mas a Forbes argumentou que a popularização de smartphones e redes 3G no Brasil deverá aproximar mais as redes sociais e o comércio eletrônico.