M-commerce segurança preocupa consumidores

M-commerce segurança preocupa consumidores. 32% dos proprietários de smartphones e tablets afirmam que as suas preocupações com a segurança já os fizeram desistir de realizar alguma aquisição a partir de seu aparelho móvel, a mesma proporção dos que relatam que suas compras foram impedidas por dificuldades em visualizar as informações completas sobre os produtos nas telas de seus dispositivos, segundo uma pesquisa apresentada em novembro de 2011 pela Motricitye e Wakefield Research.

Dados do estudo “Motricity Mobile Shopping Survey” indicam que conexões de internet lentas ou não confiáveis (31%) aparecem em segundo como impedimento principal, enquanto aproximadamente 25% dos entrevistados citaram problemas com a inserção de informações pessoais e financeiras como um obstáculo para este tipo de compra.

Comércio Eletrônico Móvel conforto leva a compras

Comércio Eletrônico Móvel conforto leva a compras, segundo o relatório, 70% dos norte-americanos que utilizam seus smartphones e tablets para fins de comércio afirmam ter comprado mais itens em 2011 em relação ao ano anterior, enquanto 11% relatam ter comprado menos. Mas se a segurança e usabilidade são obstáculos, o conforto e a facilidade no uso podem funcionar como motivadores, com 44% dos entrevistados revelando que a praticidade os levou a comprar mais neste ano, enquanto 35% citaram a facilidade no manuseio de seus aparelhos.

Conveniência é atrativo para clientes de 25-44 anos

Os entrevistados com idades entre 25-44 anos são duas vezes mais propensos a sentirem as compras via dispositivos móveis como mais convenientes que aqueles com faixa etária de 18-24 (42% contra 23%). Enquanto isso, 78% dos entrevistados reportam usar seus dispositivos durante o processo de compra, com comparar preços (61%) e buscar ofertas e descontos especiais (50%) sendo as atividades preferidas destes consumidores.

Homens realizam as compras mais caras

Os produtos adquiridos com o valor mais elevado reportado pelos consumidores possuem valor médio US$ 274, enquanto 33% afirmam não gastar mais de US$ 100. Dentre os compradores, as pessoas do gênero masculino gastam mais quando compram em dispositivos móveis, gastando em média US$ 90 a mais que as mulheres (US$ 312 contra US$ 222).