Marketing viral Harlem Shake

Marketing viral Harlem Shake. Vídeos inusitados tem sido cada vez mais utilizados por empresas como uma estratégia de marketing viral para gerar visibilidade para marcas ou até mesmo para lançamentos de produtos e serviços.

O Harlem Shake é uma amostra do poder da cultura pop e como a internet pode ser um verdadeiro combustível para ela. É também um exemplo de como algo completamente inútil pode se tornar um verdadeiro sucesso por ser “engraçado” e devido ao caráter viral da internet.

Desde o início de fevereiro, a web foi invadida por uma série de micro vídeos inusitados, com danças bizarras e pessoas caracterizadas das mais diversas formas ao som da música ‘Harlem Shake’, do DJ norte-americano Baauer.

O vídeo considerado o inventor oficial do Harlem Shake foi postado no início de fevereiro de 2013 pelo vloger Filthy_Frank

Apesar do Filthy_Frank ter sido o primeiro, a versão padrão adotada pelos internautas foi criada por um grupo de skatistas australianos de 16 anos que costumavam postar vídeos no YouTube e, em um dia chuvoso e sem ter o que fazer, decidiram filmar algo diferente em meio ao tédio.

Essa mistura de dança com uma nova linguagem se tornou uma verdadeira febre. Até o dia 12 de fevereiro, 12 mil vídeos do ‘Harlem shake’ tinham sido postados no Youtube por usuários de vários lugares do mundo, segundo o blog YouTube Trends, com mais de 44 milhões de visualizações no total. O formato simples fez da música um dos hits mais vendidos pelo iTunes em fevereiro.

A questão proposta pelo Rafael Brandon, que nos enviou uma indicação sobre os movimentos culturais na internet, é “por que os publicitários não aproveitam movimentos culturais como uma oportunidade de divulgação para marcas?”

Algumas empresas já vem utilizando esse fenômeno como “isca” para ganhar visibilidade, como a Pepsi e a Red Bull, no exterior e agora, a a Fiat no Brasil.