Brasileiros são apaixonados pelo Cannes

Brasileiros são apaixonados pelo Cannes. Um artigo publicado no Digiday  teve como foco o povo brasileiro, mais especificamente nos motivos pelos quais os brasileiros são loucos pelo Festival Interncional de Criatividade de Cannes.

O autor do texto, Jack Marshall, afirma que enquanto para os americanos e europeus a semana de premiação é sinônimo de praia e de um possível boom  na carreira, para os brasileiros é uma questão de honra nacional.

Enquanto nos Estados Unidos a propaganda é vista como uma indústria má, com diretores de criação que são frustrados porque queriam na verdade é dirigir filmes de cinema, no Brasil, a propaganda é uma paixão e os que vivem disso podem até se tornar estrelas.

O texto cita até o PJ Pereira, que reforça a história de amor: “A propaganda é levada muito a sério pelos brasileiros. Existe um amor pela indústria lá, e algumas pessoas são vistas como estrelas de rock”, afirmou o fundadora e diretor de Criação da Pereira & O’Dell. “No Brasil, uma celebridade da propaganda é uma celebridade. As grandes agências de propaganda são como as empresas da Vale do Silício nos Estados Unidos. Pensem no Mark Zuckerberg,” explicou.

As agências tupiniquins presentes no Festival estão aí para ganhar glória e não por patriotismo, é um combate, agência contra agência para saber qual leva a melhor. No caso dos EUA, trata-se apenas de destacar os melhores trabalhos do ano. Só.

O resultado, segundo o autor, é uma presença brasileira cada vez mais forte na famosa Côte D’Azur. Neste ano, o Grupo ABC fechou o Five Hotel e o transformou temporariamente no “Hotel ABC” e trouxe  até o ex-presidente Bill Clinton para uma conversa.