Concorrência entre motores de Busca

Concorrência entre motores de Busca. O ataque da Microsoft ao Google no terreno das buscas na internet e da publicidade vinculada às pesquisas pode ser o mais complicado desafio empresarial da atualidade.

É certamente um dos mais custosos: a Microsoft gasta pelo menos US$ 5 bilhões por ano nessa tarefa. Como líder disparado entre os buscadores, o Google tem vantagens. Ele possui o maior número de pessoas digitando termos de busca – alguns bilhões por dia -, o que gera mais dados para os algoritmos que garimpam os resultados. Ter tanta gente atrai anunciantes.

“Google” é sinônimo de pesquisa, a escolha habitual. Assim, é o buscador que mais fatura com publicidade paga.

O buscador Bing, da Microsoft, disponível em 40 idiomas, tem ampliado seu tráfego desde o lançamento há dois anos e já responde por mais de 14% das buscas no mercado americano, segundo a comScore, empresa de pesquisas do mercado digital. Somando-se a isso as buscas que a Microsoft faz para o Yahoo, em parceria iniciada em 2010, a empresa chega a 30% de domínio no campo das tecnologias de buscas.

Mas isso fora do Brasil, porque aqui 92,15% da buscas são feitas no Google com o BING na segunda posição com apenas com 3,67% das buscas, apesar de todo esse domínio do Google, o importante é não desconsiderar outros buscadores na hora de planejar o marketing da sua empresa.

Um bom trabalho de SEO (Search Engine Optimization ou Otimização para Sites de Busca) faz com que o seu site apareça nas primeiras posições dos principais sites de busca para diversas palavrs-chave relacionadas ao seu negócio. Melhor ainda quando esse trabalho é feito com garantia de resultados, isso definitivamente, é muito importante para a relevância da sua marca e para a conquista de clientes